O Soneto


Desejei compor um poema imprudente. Comecei a delinear na folha em branco Palavras em folhagem transparente Que tomaram forma de orvalho em pranto. Desejei desobedecer à regra,


Instituir uma tropa indisciplinada, Não dar teto a sentimentos de pedra, Nem mesmo ouvir a paz equilibrada. Desejei, mas não consegui compor. De versos em versos metrificados Por decassílabos denominados, Entre versos com rimas alternadas, Nasceu, com a imprudência já cantada, Não um poemeto, mas sim um Soneto!


0 visualização

Rua Alípio Ferreira Goios, 182 - Camanducaia (MG), CEP 37650-000.

by Benedito Silva